Seguros 06-08: Mais um café da manhã do CVG-RJ e marco da sustentabilidade são os destaques

Por: Redação DC

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação
Octávio Perissé, presidente do CVG-RJ e a superintendente da SulAmérica, Patrícia Diconsi

Octávio Perissé, presidente do CVG-RJ e a superintendente da SulAmérica, Patrícia Diconsi

Saúde é o tema-chave de evento do CVG-RJ 

A superintendente da SulAmérica, Patrícia Diconsi, foi a convidada da última edição do Café da Manhã da Sucursal Rio do Clube de Vida em Grupo (CVG-RJ). Além de debater com afinco a área de Saúde, a executiva falou sobre a valorização do corretor. “Para a companhia, as saúdes são indissociáveis: o que afeta o bolso acaba por interferir no corpo e mente, e o que afeta o corpo e mente pode afetar a saúde financeira. Esse é um conceito proprietário da companhia, que engloba um olhar integral para as pessoas com base nos três pilares: saúde física, emocional e financeira, que devem estar em equilíbrio para se viver melhor no presente e no futuro”, enfatizou Patrícia Disconzi, durante a palestra no Café da Manhã do CVG-RJ. 

De acordo com Patrícia, o conceito de Saúde Integral da SulAmérica começou em 2020, oferecendo soluções de proteção completas com opções de produtos e serviços de Saúde, Odonto, Investimentos, Vida e Previdência, adequados ao momento de vida das pessoas. E, em 2021, o conceito ganhou uma nova campanha, disruptiva: "A Geração Saúde Integral", que apresenta uma geração formada por pessoas de diferentes idades que estão unidas pela busca do bem-estar em diversas áreas da vida. 

“A excelente palestra da superintendente da SulAmérica, Patrícia Disconsi, mostrou como a filosofia da Saúde Integrada, entre tantos benefícios e vantagens para os segurados, pode ampliar também os horizontes de vendas dos corretores de seguros”, destacou Octávio Perissé, presidente do CVG-RJ


Lalia Neto falará sobre negócios da Sompo

O CEO da Sompo Seguros, Alfredo Lalia Neto, participa neste domingo do Programa Seguro, que vai ao ar às 20h30 na TV Gazeta. O executivo falará sobre as perspectivas de negócios da empresa após o acordo de venda de sua linha de Varejo para a HDI Seguros, negócio anunciado em maio.

Na entrevista concedida a Bóris Ber, o executivo esclarece as estratégias da companhia, as perspectivas de negócios e a repercussão para os corretores de seguros do acordo para a venda de seus negócios.

“A Sompo Seguros trabalha com uma política de Portas Abertas e temos uma relação de proximidade com o corretor de seguros. Por isso, organizamos eventos e estou viajando para vários estados para apresentar os aspectos dessa iniciativa que, tenho certeza, trará benefícios não só para as empresas envolvidas, mas também para o mercado de seguros e para os segurados”, observa Lalia Neto. 

Com a conclusão da operação, a Sompo Seguros continuará a atuar na área de Seguros Corporativos nos ramos de Transportes, Riscos Nomeados e Operacionais, Riscos de Engenharia, Lucros Cessantes, Compreensivo Empresarial (com Limite Máximo de Garantia superior a R$ 30 milhões), Responsabilidade Civil Geral, Garantia, Fiança Locatícia, Riscos Diversos – Equipamentos, Agrícola, Penhor Rural e Benfeitorias. Somadas, essas carteiras representaram R$ 1,48 bilhão em Prêmios de Seguros no ano de 2021.  

Já os ramos Automóvel, Residencial, Habitacional, Vida, Compreensivo Empresarial (com Limite Máximo de Garantia até R$ 30 milhões) e Condomínio, que constituem o segmento de Varejo, serão transferidos para uma nova sociedade seguradora a ser constituída pela Sompo Seguros e subsequentemente vendida à HDI após a aprovação das autoridades regulatórias competentes, o que deve ocorrer dentro de alguns meses. Cabe ressaltar que a Sompo Seguros totalizou R$ 1,80 bilhão em Prêmios de Seguros produzido nessas carteiras em 2021. 


Marco de sustentabilidade padroniza temas ASG

O Relatório de Sustentabilidade de 2020 da CNseg já mostrava, àquela época, a integração das questões ASG nos planejamentos estratégicos das seguradoras, que chegava a 90% dos players. A expectativa, no entanto, é que o normativo da Susep intensifique a agenda de sustentabilidade no setor.

As seguradoras, entidades abertas de previdência complementar e sociedades de capitalização consideram o normativo com os requisitos de sustentabilidade – publicado no Diário Oficial e que entrou em vigor no dia 1º de agosto – um marco regulatório das questões Ambiental, Social e Governança (ASG) para o setor, estimulando a evolução de forma padronizada dessa pauta.

“O setor de seguros reconhece que a atuação do regulador é fundamental para construção de políticas que fomentem melhor gestão de questões ASG. A harmonia entre os conceitos da Circular Susep nº 666/2022 com a Resolução CMN nº 4.944 – que compõem o arcabouço financeiro ASG e climático para instituições financeiras – mitiga custos operacionais para cumprimento regulatório”, avalia Solange Beatriz Palheiro Mendes, diretora- executiva da Confederação Nacional das Seguradoras (CNseg).  

Para facilitar o entendimento das exigências regulatórias, os requisitos da minuta de Circular Susep são divididos em quatro etapas. A de aculturamento abrange a Política de Sustentabilidade, as ações relacionadas e a definição de uma governança. Já a análise qualitativa compreende exigências relacionadas a gestão de riscos, critérios para precificação e subscrição para seleção de investimentos e para seleção de fornecedores e prestadores de serviços. 


Treinamento Capemisa e CCS-RJ é um sucesso

A Capemisa e o Clube dos Corretores do Rio de Janeiro realizaram na terça-feira um treinamento com ênfase no seguro para pequenas e médias empresas (PMEs), com foco em toda a operação. Passados alguns dias uma opinião é unânime. O evento foi um sucesso. 

Paulo Gomes, Superintendente da Regional em São Paulo e Rio de Janeiro da CAPEMISA Seguradora, ressaltou que “o evento em parceria com o Clube dos Corretores do Rio de Janeiro foi importante na aproximação com os profissionais. Abordamos temas técnicos e operacionais além de oportunidades de negócios”, afirmou.

Para o presidente do Clube dos Corretores de Seguros do Rio de Janeiro (CCS-RJ), Luiz Mário Rutowitsch, “esses treinamentos são de grande importância para a capacitação pessoal dos corretores por permitir seu crescimento profissional e mostrar seu compromisso com o mercado segurador”, afirmou.

Data:

Por: Redação DC

Crédito da imagem: Divulgação

PUBLICIDADE

Veja mais
Veja mais

Leia +

facebook-logo instagram-logo twitter-logo linkedin-logo
Siga nossas Redes sociais

©2021 - Diário Comercial. Todos os direitos reservados. anj-logo

©2021 - Diário Comercial.
Todos os direitos reservados.