Diário Comercial

Destaques do Dia


Colunas


Victor Mothé Pereira Nunes

vmpnunes@hotmail.com

Momentos excepcionais

Momentos excepcionais exigem medidas e atitudes excepcionais. Todos os riscos e as incertezas de uma pandemia implicam em ações recomendáveis para que se tenha o devido cuidado com a saúde de todos e, adicionalmente, com as questões financeiras pessoais e familiares, que resultarão das medidas governamentais e das reações dos agentes econômicos, objetivando a preservação da saúde pública e a defesa da renda e do patrimônio pessoal. A primeira dica para este momento é não se desesperar! Tenha calma e mantenha a esperança. Pensamento positivo e um olhar para o futuro, para o médio e o longo prazos, são muito importantes. Faça a sua parte, seja com relação às recomendações das autoridades seja a respeito das finanças pessoais e familiares. A sociedade passará por tudo isto junta e ao final estará fortalecida, embora tenhamos um caminho duro pela frente e, infelizmente, com a perda de vidas. A preservação do máximo possível de vidas deve ser, sem a menor dúvida, hoje e sempre, a prioridade fundamental de todos. Cada um individualmente e as famílias em geral vão precisar de todo equilíbrio emocional possível para enfrentar os presentes desafios, que resultarão em consequências que, na maioria, ainda são imprevisíveis. Portanto, zele para que as notícias ruins que chegam cotidianamente, e mesmo os sofrimentos pessoais, não tirem toda a tranquilidade e não afetem em demasia o lado emocional e psicológico. Fique em casa o máximo que for possível, somente saia em situações inadiáveis e estritamente necessárias, e mantenha uma rotina diária durante o período de isolamento social. Programe atividades físicas domiciliares, faça as refeições em família (com aqueles que residem no mesmo imóvel, arrume os armários, estude “on line”, leia livros, jornais e revistas, assista a filmes e a séries, reveja ou prepare o planejamento financeiro pessoal e familiar. Tenha horários determinados para cada atividade, selecione atividades que possam proporcionar interações, por exemplo, jogos de tabuleiro ou de cartas. Fortaleça os laços de relacionamento com as pessoas que residem no mesmo local e com os demais parentes e amigos, estes através das redes sociais. Quanto aos aspectos diretamente relacionados com as finanças pessoais e familiares, avalie a adoção das seguintes medidas: Primeira medida sugerida: Faça uma avaliação realista das ameaças de redução do fluxo de rendas pessoais e da família, para os próximos meses. Em especial, verifique se há riscos de desemprego, de redução salarial, de atraso nos pagamentos. Verifique imediatamente como está a reserva financeira de emergência pessoal e dos demais membros da família. Busque desde já novas oportunidades de geração de renda, o mais rapidamente possível. Segunda medida sugerida: Reveja detalhadamente o planejamento financeiro pessoal e familiar para os próximos dias, semanas e meses, pelo menos para os próximos três meses, tendo como base a nova realidade e os cenários avaliados para o fluxo de rendas tratado na primeira medida. Reduza ainda hoje todos os desembolsos que possam ser negociados. Suspenda planos e adie as metas, para revisão geral após o término da pandemia. Terceira medida sugerida: Faça um levantamento dos suprimentos que tem em casa e planeje a suplementação do estoque para um prazo determinado. Existe um dilema na determinação deste prazo: se a disponibilidade financeira permite fazer um estoque para alguns meses, então se estará retirando das prateleiras uma quantidade maior de produtos e contribuindo para uma eventual antecipação de um desabastecimento; por outro lado caso não se faça um estoque se terá que ir mais vezes ao supermercado e se poderá virar uma vítima deste possível desabastecimento. A opção pessoal dependerá de situações particulares, mas considere fazer um estoque para cerca de duas semanas. Este prazo pode ser uma razoável estimativa para a redução do número de idas ao supermercado e para não pressionar demasiadamente a oferta e a disponibilidade dos produtos nas gôndolas. Quarta medida sugerida: Em complementação à segunda medida, privilegie as despesas nas necessidades essenciais, tais como, por exemplo, alimentação, higiene e medicação. Aproveite as restrições ao comércio para obter ou reforçar a reserva financeira de emergência pessoal e dos demais membros da família, uma importante atitude preventiva constantemente defendida pela totalidade dos especialistas em finanças pessoais. Quinta medida sugerida: Utilize este momento como um tempo de poupar mais dinheiro, de reorganizar os gastos, de viver num patamar abaixo do que costuma viver. Pode parecer difícil no começo, mas tudo na vida é uma questão de criar novos hábitos, por exemplo, poupar dinheiro, fazer exercícios ou aprender um novo idioma. Comece novos hábitos agora, use toda a pressão do momento a favor da uma mudança positiva. Sexta medida sugerida: Não esqueça de pensar nos menos favorecidos. A recomendação é de poupar ao máximo, para também poder doar aos menos favorecidos. Dê preferência a fazer compras no pequeno comércio no entorno do local onde reside, este será um relevante auxílio no sentido de superar a atual crise. Outro potencial conflito deste momento é que a necessidade de poupar está em desacordo com a realização de compras por preços mais elevados. Entretanto, pagar um pouco mais caro ao comerciante do bairro, neste período tão extraordinário, pode ajudar a sustentar outra família, e neste sentido, considere a diferença de preços, se houver, como uma doação. Cabe lembrar, por fim, que é nas crises que surgem as maiores oportunidades.



















©2017 - Diário Comercial. Todos os direitos reservados.