Diário Comercial

Destaques do Dia


Colunas


Renato Alves

redacao@diariocomercial.com.br

Dólar bate recorde: empresários devem mirar no mercado exterior?

Em hipótese alguma devemos levar na brincadeira a situação que estamos enfrentando com a explosão da Covid-19. Nos Estados Unidos, país onde a empresa em que sou sócio tem uma consultoria, a situação é quase idêntica ao resto do mundo, acrescentando que atualmente o território é o epicentro da pandemia. Neste mês de maio, no entanto, alguns estados já estão retomando suas atividades. É o caso da Flórida, por exemplo, onde já existem restaurantes abertos e muitos comércios estão abrindo as portas, todos com as medidas necessárias para reduzir o contágio da doença. É uma fase de adaptação. Sempre fui a favor dos empresários investirem nos Estados Unidos, garantindo uma boa colocação profissional e a oportunidade de pavimentar a conquista pelo visto de residência permanente. No entanto, nesse momento devemos falar também do dólar, que chegou a patamares acima de R$ 5. O que quero dizer com isso? Que mesmo no atual cenário, a valorização da moeda estadunidense pode trazer uma série de benefícios para aqueles que nela apostam, já que é em períodos de incertezas que ela apresenta maior valorização. Não é novidade que quando há uma piora conjuntural, todos os ativos são afetados negativamente de forma simultânea, porém, um dos benefícios de investir no mercado exterior é justamente tentar evitar esse efeito. Em outras palavras, quando os empreendedores colocam uma parte do seu patrimônio fora do seu país de origem, ele tem a certeza de que caso os seus ativos brasileiros percam valor, os seus ativos atrelados ao dólar irão valorizar, pois existe uma proteção cambial em uma moeda forte com alta liquidez. O processo para abrir uma empresa ou uma conta do Estados Unidos é extremamente fácil. Difícil é adequar o negócio aos padrões internacionais e estudar com cautela o segmento de atuação, a fim de respeitar as normas e princípios de cada estado americano. Contar com o auxílio de uma assessoria especializada para ajudar nos aspectos legais e operacionais da atividade, bem como transmitir informações qualificadas e com respaldo, é um caminho indispensável para o sucesso. As alterações do dólar são imprevisíveis e eu temo muito pela sorte dos que tentam lucrar a curto prazo. A meu ver, a melhor estratégia é o investimento de longo prazo com diversificação de parte de suas economias em moedas fortes. Quem tem patrimônio e reservas alicerçadas em duas moedas sempre ganha com as oscilações, seja de qual lado for.



















©2017 - Diário Comercial. Todos os direitos reservados.